Israel bombardeia sul de Gaza à procura de soldado

Israel bombardeou neste sábado a cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, enquanto as tropas buscam por um soldado que teria sido capturado pelo Hamas em uma emboscada que quebrou o cessar-fogo e preparou o terreno para Yma grande escalada do conflito que já dura 26 dias.

AE-AP, Estadão Conteúdo

02 de agosto de 2014 | 08h05

O exército israelense disse acreditar que o soldado tenha sido detido em uma emboscada feita pelo Hamas uma hora depois que o cessar-fogo mediado pela comunidade internacional entrou em vigor na sexta-feira. Militantes do Hamas tentaram neste sábado se distanciar da suposta captura do soldado israelense, que foi condenada por vários países.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, e outras autoridades acusaram o Hamas de violar o cessar-fogo e pediram a libertação imediata e incondicional do soldado.

Os bombardeios na manhã deste sábado ao redor da cidade de Rafah mataram pelo menos 35 palestinos, informou Ashraf al-Kidra, autoridade de saúde da Palestina, acrescentando que o principal hospital da área foi evacuado por causa dos ataques que deixaram dezenas de mortos na sexta-feira.

Em outras partes de Gaza, autoridades palestinas reportaram mais de 150 ataques aéreos, sendo um deles contra a Universidade Islâmica na Cidade de Gaza. Fortes bombardeios persistem na fronteira entre Israel e Palestina.

A ofensiva mais pesada ocorreu perto do local em que o soldado israelense teria sido raptado na sexta-feira, nas proximidades de Rafah, cerca de três quilômetros dentro da Faixa de Gaza e perto da fronteira entre Israel e Egito. Autoridades afirmaram que dezenas de moradias foram danificadas ou destruídas pelos ataques aéreos.

O exército do Hamas informou em seu site que "não tinha conhecimento até este momento do soldado desaparecido ou seu paradeiro ou as circunstâncias de seu desaparecimento." O grupo disse acreditar que o soldado possa ter sido morto em um combate com militantes cerca de uma hora antes do início do cessar-fogo, às 8h (horário local), e acrescentou que perdeu contato com os combatentes.

"Acreditamos que todos os membros desse grupo morreram em um ataque (israelense), incluindo o soldado sionista que o inimigo diz ter desaparecido", informou o Hamas. O exército israelense se recusou a comentar o comunicado do grupo militante. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GAZAISRAELSOLDADO DESAPARECIDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.