Israel bombardeia torres de TV e toma Maroun al-Ras

Aviões israelenses bombardearam torres de televisão neste sábado no Líbano, matando uma pessoa e deixando a nação privada de notícias, pois as redes de televisão ficaram fora do ar em várias regiões do país.Três mísseis cortaram as transmissões da principal emissora privada, a Lebanese Broadcasting Corp. (LBC), a TV Futuro e a Al-Manar, do grupo xiita libanês Hezbollah.Transmissões por satélite não foram cortadas, mas as ligações telefônicas foram cortadas em algumas regiões.Maroun al-Ras está sob controle do Estado judeuA aldeia libanesa de Maroun al-Ras, no sul do país e próxima à fronteira com Israel, foi tomada pelas forças israelenses e está totalmente sob controle do Estado judeu, disse neste sábado um porta-voz militar israelense.Em declarações à imprensa, o coronel Gal Hirsch, da Zona Militar Norte de Israel, disse que a aldeia está totalmente sob controle das tropas israelenses, após combates com a milícia do grupo xiita Hezbollah, que, segundo o porta-voz, sofreu um elevado número de baixas.Além disso, o coronel desmentiu as informações de que outro soldado israelense teria sido capturado pelo Hezbollah e ressaltou que todos os militares feridos ou mortos encontram-se em território de Israel.Por sua parte, a rádio pública israelense informou que aviões e helicópteros estão lançando panfletos sobre as aldeias do sul do Líbano para que a população deixe a região, o que indicaria que a ofensiva terrestre israelense pode se intensificar nas próximas horas.A incursão foi parte de uma estratégia mais ampla de Israel, de conduzir uma operação terrestre "limitada" para destruir túneis, esconderijos e arsenais do Hezbollah no sul libanês.O Hezbollah, um grupo guerrilheiro baseado no sul do Líbano, já lançou centenas de foguetes contra cidades do norte de Israel, matando 16 civis e forçando centenas a fugir para abrigos. Neste sábado, pelo menos 35 foguetes atingiram as cidades de Karmiel e Kiriyat Shemona, ferindo duas pessoas, bem como Nahariya as comunidades menores de Bet Hilel, Mayan Baruch e Mashov Am.Vila desocupadaO porta-voz das Forças Interinas das Nações Unidas no Líbano (Finul), Milos Strugger, declarou que tropas israelenses se retiraram de localidade de Marwahin, na fronteira sudoeste do Líbano com Israel.Segundo fontes militares israelenses, as unidades deslocadas encontraram uma ampla rede de bunkers subterrâneos e instalações do Hezbollah, criadas para disparar seus mísseis e foguetes contra Israel. Pelo menos seis soldados israelenses e 13 guerrilheiros perderam a vida nos violentos combates travados em Maroun al-Ras, onde se supõe que os soldados desmantelam as instalações da guerrilha.O ministro da Defesa, Amir Peretz, reiterou em um hospital de Haifa, durante uma visita a vítimas dos disparos do Hezbollah, que "Israel não tem intenções de conquistar o Líbano".Desde o início do conflito, no dia 12 - quando o Hezbollah invadiu território israelense e capturou dois soldados - morreram 349 libaneses e 34 israelenses. Mais de 1.500 pessoas ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.