Israel bombardeia túneis na fronteira egípcia de Gaza

Moradores de Rafah tiveram que fugir de suas casas por conta dos ataques dos aviões israelenses

Agências internacionais,

28 de janeiro de 2009 | 03h19

Aeronaves israelenses bombardearam nas primeiras horas desta quarta-feira, 28, (horário local) túneis usados para o contrabando de alimentos e armas na fronteira da Faixa de Gaza com o Egito. Palestinos que moram próximo à cidade de Rafah afirmaram terem ouvido fortes explosões. Muitos entraram em pânico e fugiram de suas casas. O governo de Israel afirma que os túneis são usados para contrabandear armamentos para o grupo militante palestino Hamas.   Veja também: Ataque aéreo israelense fere membro do Hamas em Gaza Soldado israelense morre em explosão na fronteira de Gaza Hamas nega querer controlar fundos para reconstruir Gaza Linha do tempo dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  História do conflito entre Israel e palestinos  Imagens das crianças em meio à destruição em Gaza    Segundo a BBC, este foi o segundo ataque aéreo israelense contra a região desde que Israel e o Hamas declararam um cessar-fogo nos conflitos, há pouco mais de uma semana. Os túneis construídos na fronteira com o Egito já haviam sido alvo de bombardeios israelenses durante a ofensiva, que tinha como um de seus objetivos interromper o contrabando de armamentos para o Hamas. O contrabando, no entanto, foi retomado assim que a trégua nos conflitos foi declarada unilateralmente por Israel e pelo Hamas. Palestinos afirmam que os túneis são usados para que alimentos e combustível cheguem à Faixa de Gaza. Na terça-feira, um grupo palestino desconhecido desrespeitou o cessar-fogo vigente há dez dias entre Israel e o Hamas, matando um soldado israelense e ferindo outros três com a explosão de uma bomba em uma passagem no lado israelense da fronteira com a Faixa de Gaza. O Exército de Israel respondeu com bombardeio contra alvos no território palestino, matando pelo menos uma pessoa.  Os ataques acontecem pouco antes da chegada, ainda nesta quarta-feira, a Israel do enviado dos Estados Unidos ao Oriente Médio, George Mitchell, designado pelo presidente americano, Barack Obama, para analisar a situação política na região.   Mitchell se reuniu com autoridades egípcias no Cairo. De lá, ele partiu para Israel, onde deve se encontrar com autoridades nesta quarta-feira. Na quinta, ele parte para a Cisjordânia para se encontrar com líderes da Autoridade Nacional Palestina. Mitchell não deve se encontrar com representantes do Hamas.   Em outra frente diplomática, mediadores egípcios têm se encontrado separadamente com representantes de Israel e do Hamas para tentar negociar um cessar-fogo permanente. O grupo palestino pede a reabertura das fronteiras de Gaza, inclusive com o Egito, e o fim do bloqueio econômico israelense. Já o governo de Israel quer o fim dos ataques com foguetes em seu território e um maior patrulhamento da fronteira de Gaza com o Egito para tentar impedir o contrabando de armas para militantes.   Matéria atualizada às 7h40.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasFaixa de Gazapalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.