Israel começa a deixar cidades palestinas

A polícia palestina assumiu o controlehoje de uma cidade da Faixa de Gaza logo após a retirada das tropas israelenses. Ao mesmo tempo, o primeiro-ministro da Autoridade NacionalPalestina (ANP) Mahmoud Abbas marcou uma reunião para definir as próximas ações no âmbito de um plano de paz apoiado pelos Estados Unidos que deve levar ao estabelecimento de um Estadopalestino soberano e independente até 2005, criando esperança de que mais de 33 meses de violência podem estar chegando ao fim.Enquanto buldôzeres derrubavam postos de checagem israelenses e o tráfego fluía livremente em Gaza pela primeira vez em meses, os dois lados concordaram com a retomada ao controle palestinoda cidade de Belém, na Cisjordânia. Os desdobramentos seguiram-se à declaração de uma trégua temporária de ataques por parte de três dos principais grupos palestinos, mas ainda existem alguns obstáculos.O primeiro dia da trégua foi marcado por um ataque a tiros palestino que matou um trabalhador búlgaro da construção civil num projeto rodoviário israelense na cidade de Yabed, naCisjordânia. Membros renegados das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, frouxamente ligadas ao movimento Fatah, de Yasser Arafat, assumiram responsabilidade pelos disparos.Entretanto, o ministro palestino da Informação, Nabil Amr, disse não acreditar que a Fatah estava envolvida. Segundo ele, "tratou-se de um ataque individual que não deveria afetar a declaração de trégua." E acrescentou: "O governo palestinofará o possível para evitar tais ataques no futuro."Apesar da violência, autoridades palestinas e israelenses se mantinham confiantes sobre as perspectivas de novos avanços sob o "roteiro" para a paz lançado pelo presidente dos EUA, GeorgeW. Bush, numa reunião de cúpula com líderes do Oriente Médio em 4 de junho. O plano de três fases culmina com o estabelecimento de um Estado palestino em 2005 e um acordo de paz definitivoentre as partes em conflito.O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, evitou criticar Abbas depois do ataque a tiros. Ele destacou que a responsabilidade de segurança havia sido transferida apenas poucas horas antes para a ANP na cidade de Beit Hanoun, no nortede Gaza."Mesmo se o s palestinos fossem os mais rápidos do mundo, e os mais determinados, você não poderia esperar que eles destruíssem o terrorismo em um instante", disse ele a integrantes do seuPartido Likud. No passado, Sharon insistia que os palestinos reprimissem imediatamente os militantes.Sharon planeja reunir-se amanhã em Jerusalém com seu colega palestino, Abbas. As discussões devem se concentrar em medidas de segurança paraos dois lados, assim como pedidos palestinos de libertação de prisioneiros políticos e novas retiradas israelenses de territórios reocupados desde que os confrontos tiveram início,em 28 de setembro de 2000.Num comunicado divulgado hoje, Abbas avaliou que o sucesso do plano de paz "depende na implementação de compromissos dos doislados". Ele pediu aos israelenses que façam sua parte no plano. Israel concordou em retirar-se da cidade de Belém, na Cisjordânia, a partir de quarta-feira, segundo autoridades palestinas de segurança. Fontes militares israelensesconfirmaram apenas que a retirada ocorrerá até o fim da semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.