Israel começa a mudar traçado do muro

Cartógrafos israelenses começaram a mudar o traçado do muro de separação construído na Cisjordânia para aproximá-lo da fronteira com Israel, seguindo decisão tomada há duas semanas pela Suprema Corte do país. A obra, que o governo local denomina de "barreira de segurança" contra extremistas, é constituída por muros de concreto, cercas, valas e dispositivos eletrônicos.A medida não está relacionada com o parecer dado pela Corte Internacional de Justiça, com sede em Haia, na Holanda, que na sexta-feira considerou ilegal a edificação da obra em território ocupado. O tribunal israelense ordenou mudanças em 30 quilômetros dos cerca de 170 quilômetros já construídos, atendendo à queixa de 35 mil palestinos que ficaram isolados de suas terras de cultivo, escolas e hospitais. Esse trecho fica ao norte de Jerusalém.Segundo o diário local Yediot Aharonot, o novo plano dos militares é construir o muro a um quilômetro de distância das casas palestinas, que não mais poderão ser cercadas, nem separadas dos campos de cultivo. "Estamos estudando meios de trazer a barreira para mais perto da Linha Verde", disse o funcionário Gideon Meir, da Chancelaria israelense.A Linha Verde é a fronteira de 1967, antes da ocupação da Faixa de Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental, reconhecida internacionalmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.