Israel começa a remover parte de barreira na Cisjordânia

Israel começou a derrubar hoje parte de um barreira de separação nos territórios ocupados da Cisjordânia, quatro anos após a Suprema Corte do país ter determinado a sua remoção. Segundo um comandante militar israelense, uma extensão de 3,2 quilômetros da barreira será derrubada e um muro de 2,7 quilômetros foi construído próximo ao assentamento judaico de Modiin Illit.

AE, Agência Estado

26 de junho de 2011 | 15h41

O reposicionamento da barreira representou uma grande vitória para os palestinos do vilarejo de Bilin, mas eles disseram que a estrutura deveria ser removida completamente e prometeram continuar com seus protestos semanais. Segundo Tzur, com o reposicionamento cerca de 55 hectares de terra serão devolvidos aos palestinos.

Os militares israelenses argumentam que a barreira era necessária para a segurança do assentamento de Modiin Illit, e argumentam que terão menos tempo para reagir em caso de uma possível infiltração. "Esta é uma nova ameaça, mas podemos lidar com isso", disse o coronel Saar Tzur.

O vilarejo de Bilin perdeu metade de sua área por causa da barreira, e protestos semanais contra a estrutura muitas vezes resultaram em confrontos entre ativistas e tropas israelenses.

Israel começou a construir a barreira no final de 2002, em meio a uma onda de ataques suicidas em suas cidades. A estrutura, porém, ocupa parte da Cisjordânia, e críticos dizem que ela foi projetada para tomar uma área reivindicada pelos palestinos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelCisjordâniaremoçãobarreira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.