Israel concorda em prorrogar cessar-fogo com Hamas, diz agência

Segundo a 'Reuters', governo israelense ampliará trégua negociada no Egito; Hamas ainda não se pronunciou sobre possível acordo

O Estado de S. Paulo

06 de agosto de 2014 | 15h25

CAIRO - O governo de Israel concordou nesta quarta-feira, 6, em ampliar o cessar-fogo na Faixa de Gaza, disse uma fonte diplomática à agência Reuters.

Segundo essa fonte, os termos da trégua atual, que começou ontem e deve durar até sexta-feira, devem ser mantidos.  O Hamas ainda não se pronunciou. Mais cedo, a chancelaria egípcia tinha dito que as negociações indiretas intermediadas pelo  estavam avançando. 

Israel retirou ontem suas tropas terrestres da Faixa de Gaza como parte de uma trégua de três dias, o primeiro passo para um acordo de longo prazo. Os palestinos querem o fim do bloqueio imposto por Egito e Israel ao território, além da libertação de prisioneiros. Israel exige a desmilitarização da Faixa de Gaza. 

" Para Israel, a questão mais importante é essa", disse Marl Regev,  porta-voz do primeiro-ministro Binyamin Netanyahu. "Precisamos impedir o Hamas de se rearmar e desmilitarizar a Faixa de Gaza."

O secretário de Estado americano, John Kerry, disse que respaldaria o fim do bloqueio desde que o Hamas desista de lançar foguetes contra o sul de Israel.

 "O que queremos é apoiar os palestinos e seu desejo de melhorar suas vidas, e ter acesso às fronteiras para melhorar e reconstruir suas vidas com mais liberdades", disse o diplomata. "Mas isso deve ser acompanhado de mais responsabilidade em relação a Israel, o que significa desistir dos mísseis."  / REUTERS

Notícia em desenvolvimento. 

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasEgitoFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.