Israel critica Conferência sobre Racismo

Líderes israelenses criticaram duramente a Conferência Internacional sobre Racismo, que acontece em Durban, na África do Sul, acusando-a de ter caráter anti-semita. "A conferência é uma explosão de ódio e anti-semitismo", disse o ministro Shimon Peres, acrescentando que o evento "parece um acampamento onde a nem a tolerância e nem o entendimento são mensagens para o futuro."Em Durban, grupos de direitos humanos aprovaram a resolução, neste domingo, que acusa Israel de "racismo e apartheid", além de atentar para o fim da contínua e sistematizada perpetuação de crimes de racismo, incluindo os crimes de guerra, ações genocidas e de limpeza étnica.Já no fórum sobre direitos humanos ocorreu paralelamente à Conferência, judeus, cristãos e vários grupos internacionais de defesa dos direitos humanos rejeitaram a resolução.Em Israel, o presidente Moshe Katsav disse que o país poderá servir como exemplo de lição para muitos outros os quais violam seus direitos humanos. "Lamento que alguns ataques no Estado de Israel tenham sido expressões palpáveis de racismo e anti-semitismo", disse Katsav.O embaixador de Israel na África do Sul, Alon Liel, disse que a natureza anti-israelense da Conferência deve-se à percepção da comunidade internacional de que a violência dos palestinos "é algo quase legítimo", por ocasião da ocupação por Israel dos territórios de West Bank e da Faixa de Gaza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.