Israel debate lei para desmantelar colônias judaicas

O governo de Israel começou a debater neste domingo um projeto de lei que autorizaria o pagamento de indenização aos colonos judeus que se retirarem de suas casas na Cisjordânia mesmo antes do eventual fechamento de um acordo de paz com os palestinos. O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse hoje, antes do início de uma reunião semanal de gabinete, que um acordo de paz exigiria a retirada dos colonos que atualmente habitam áreas ocupadas da Cisjordânia e observou que "o país precisa começar a pensar nesse assunto". Ele argumentou que Israel não se preparou adequadamente quando promoveu a retirada dos colonos judeus da Faixa de Gaza, em setembro de 2005, o que exigiu em alguns casos o uso da força por parte do Exército.O projeto de lei apenas começou a ser debatido e ainda está longe de ser votado. Além disso, Olmert já não estará mais no governo quando isso ocorrer, já que renunciou ao cargo de primeiro-ministro em meio a um escândalo de corrupção e deverá deixar o posto nos próximos dias. Integrantes do governo Olmert argumentaram que o assunto deveria ser discutido somente depois que ficarem definidas as novas fronteiras.Um grupo de defesa dos colonos criticou a abertura do debate. Os colonos, religiosos ultraortodoxos em sua maioria, acreditam que os territórios reivindicados pelos palestinos para o estabelecimento de um futuro Estado independente foi outorgado aos judeus por decreto divino, motivo pelo qual defendem o governo de Israel não deveria cedê-los.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.