Israel decide manter bloqueio naval ao Líbano

O bloqueio aéreo de quase dois meses, imposto por Israel ao Líbano, encerrou-se nesta quinta-feira mas, numa mudança de última hora, o embargo naval continua. Na quarta-feira, o governo israelense havia anunciado que todos os bloqueios seriam suspensos, e a medida chegou a ser anunciada nesta manhã por um porta-voz da chancelaria. Mais tarde, esclareceu-se que o bloqueio aos portos libaneses continuará até que uma força da ONU chegue para impedir o contrabando de armas para o Hezbollah.Numa demonstração da normalização do tráfego aéreo, um vôo comercial da Middle East Airlines, companhia aérea nacional do Líbano, sobrevoou Beirute três vezes às 6h04 da manhã (12h04 em Brasília), quatro minutos após o final do bloqueio. O vôo, vindo de Paris, pousou no Aeroporto de Beirute.O governo israelense foi criticado por militares e pelas famílias de dois soldados capturados, cujo seqüestro pelo Hezbollah deu início à guerra de 34 dias entre Israel e a guerrilha. os críticos dizem que o fim do bloqueio abrirá espaço para a reorganização do Hezbollah, e eliminou uma das vantagens que Israel tinha para negociar a libertação dos militares.Autoridades israelenses informam que as Nações Unidas ainda trabalham em questões de logística para assumir o patrulhamento do litoral libanês, e que se espera que o problema estará resolvido em 48 horas. Israel estará pronto para transferir a responsabilidade pelos portos libaneses assim que a força internacional estiver pronta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.