Israel defende ação em Gaza

Israel disse que não abrirá uma investigação criminal sobre as mortes de 12 civis palestinos ocorridas em 18 novembro durante um bombardeio que atingiu uma residência na Faixa de Gaza. O ataque foi o mais mortífero dos oito dias de combates entre Israel e facções islâmicas comandadas pelo Hamas. Entre as vítimas estavam dez membros de uma família, além de dois vizinhos. / REUTERS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.