Israel defende ataque em Gaza e diz que casa atingida era de militante do Hamas

O Exército israelense informou ontem que a casa de Mohamed Jamal al-Dalu, morto em um ataque em Gaza durante a operação Pilar de Defesa, era "o esconderijo de um militante do Hamas de alto escalão que teve um importante papel na organização de infraestrutura do lançamento de foguetes". Dessa forma, Israel tentou se defender da acusação da ONG Human Rights Watch (HRW), que acusou os militares do país de cometer "uma violação das leias de guerra" ao realizar um ataque aéreo que deixou 12 mortos. Segundo a HRW, "mesmo que Dalu fosse um alvo militar legítimo, a probabilidade de um ataque contra uma casa matar um grande número de civis o torna desproporcional e ilegal".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.