Israel deixa base perto de Belém

Enquanto os primeiros-ministros israelense, Ariel Sharon, e palestino, Mahmoud Abbas, se preparavam para um encontro em que começarão a negociar nesta terça-feira o próximo passo no roteiro para a paz, blindados e caminhões do exército de Israel lotados de equipamentos militares começavam a deixar uma base perto de Belém. Na cidade cisjordaniana, buldôzeres arrancaram as fundações de uma mesquita que está sendo construída próximo à Basílica da Anunciação - ato que foi considerado uma provocação pelos muçulmanos locais. No encontro de hoje entre o premiês palestino e israelense, Abbas deverá pedir a Sharon que alivie as restrições para o deslocamento dos palestinos, especialmente a proibição para viajar de uma comunidade para outra da Cisjordânia, disseram fontes palestinas. Abbas pedirá também a libertação de presos palestinos e que seja interrompida a construção de uma barreira nos territórios em disputa destinada, segundo Israel a impedir a passagem de terroristas. A retirada israelense da cidade de Belém deverá começar amanhã, mas hoje um esquadrão de demolição do ministério do Interior de Israel chegou ao amanhecer ao local onde está sendo construída a mesquita, demolindo-a parcialmente enquanto a maior parte dos muçulmanos da cidade ainda dormia. Centenas de policiais antidistúrbios protegiam os trabalhadores e, enquanto manifestantes islâmicos começavam a chegar ao local, algumas enxadas foram quebradas e dois agentes foram levemente feridos. A polícia prendeu sete pessoas, incluindo o vice-prefeito Salman Abu Ahmed, líder local do Movimento Islâmico, o maior grupo político entre os árabes israelenses.

Agencia Estado,

01 Julho 2003 | 10h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.