Israel demolirá 20 casas de palestinos

Prefeitura de Jerusalém afirma que as residências são 'ilegais'; decisão irrita EUA

Reuters, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2010 | 00h00

JERUSALÉM

Israel aprovou ontem a demolição de 20 casas palestinas em Jerusalém Oriental, decisão que voltou a irritar a Autoridade Palestina e o governo americano. O anúncio foi feito um dia após o premiê Binyamin "Bibi" Netanyahu aceitar ? sob forte pressão externa ? novas medidas para aliviar o bloqueio à Faixa de Gaza.

Se o projeto for levado adiante, as construções palestinas da região de Silwan darão lugar a mil moradias de colonos israelenses. A Prefeitura de Jerusalém argumenta que essas 20 casas árabes foram construídas sem autorização.

Palestinos dizem que se tornou praticamente impossível conseguir esse tipo de licença. "Isso é uma colonização municipal", protestou Adnan al-Husseini, responsável da Autoridade Palestina por Jerusalém Oriental.

O governo americano fez questão de evidenciar seu descontentamento com os planos israelense de expansão em Jerusalém Oriental. "Esse é exatamente o tipo de medida que mina a confiança que é fundamental para o diálogo de paz", disse o porta-voz do Departamento de Estado, P. J. Crowley. O presidente Barack Obama já havia publicamente solicitado a Israel que não demolisse casas palestinas em Jerusalém.

O projeto em Silwan deveria ter sido aprovado em março, mas Netanyahu convenceu o prefeito da cidade, Nir Barakat, a postergá-lo, afirmando que a medida isolaria Israel. No mesmo período, o governo Bibi havia anunciado a expansão dos assentamentos enquanto o vice de Obama, John Biden, estava em Israel. O anúncio levou à pior crise entre Tel-Aviv e Washington dos últimos anos.

Americanos e europeus haviam elogiado no domingo a decisão de Israel de reduzir ainda mais o bloqueio a Gaza. O cerco ao território já havia sido aliviado na quinta-feira após pressões por causa do assalto, em 31 de maio, à Frota da Liberdade, que deixou nove mortos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.