Israel desautoriza tribunal internacional de Haia

O governo de Israel decidiu não enviar representantes à audiência da Corte Internacional de Haia, na Holanda, sobre o muro que o Estado judeu vem erguendo em torno da Cisjordânia. Segundo as autoridades israelenses, não há sentido em enviar representação, já que Israel não reconhece a autoridade do tribunal.As audiências deverão ter início em 23 de fevereiro, atendendo a pedido da Assembléia-Geral da ONU, que requisitou um parecer sobre a legalidade da barreira. Israel diz que o muro é necessário para manter terroristas fora de seu território. Os palestinos acusam Israel de usar a barreira para anexar porções da Cisjordânia.O ministro palestino Ghassan Khatib disse que os palestinos comparecerão à audiência. Israel diz que a questão está sendo manipulada politicamente. Segundo o assessor do primeiro-ministro Ariel Sharon, Zalman Shoval, ?a Corte não deve ser chamada a decidir questões políticas, e esta é, claramente, uma questão política?.Mas Israel não ficará totalmente de fora dos procedimentos em Haia. A chancelaria disse que enviará porta-vozes. O serviço de resgate ZAKA pretende exibir o esqueleto retorcido de um ônibus destruído por terroristas diante do tribunal, e dezenas de israelenses irão à Holanda participar de manifestações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.