Israel deseja ampliar cerca na Cisjordânia

O ministério da Defesa de Israel deseja estender a cerca que separa israelenses e palestinos ainda mais para leste, a fim de cobrir uma porção maior da Cisjordânia e os assentamentos judeus, disse um porta-voz ministerial neste domingo. Os palestinos denunciaram a nova barreira e disseram que é uma tentativa de sabotar um plano de paz apoiado pelos EUA para a criação de um Estado palestino. Eles indicaram que apresentariam queixas aos mediadores: EUA, União Européia (UE), Rússia e as Nações Unidas.Israel começou a construir a barreira no ano passado, alegando estar tentando impedir a passagem de terroristas palestinos. De acordo com o plano inicial, parte da cerca ia ser construída ao longo da chamada Linha Verde, a qual separava a fronteira entre Israel e Cisjordânia antes da guerra de 1967. Outras porções iam entrar mais para leste, cobrindo várias localidades cisjordanianas, com o total de 11 mil habitantes. No entanto, o ministério da Defesa recomenda agora alterar os planos ou construir a barreira de forma a penetrar ainda mais para dentro da Cisjordânia, incluindo cerca de 20 mil habitantes. Estender a cerca significaria a inclusão de outros 40 mil colonos de assentamentos judeus e mais 3 mil palestinos a oeste, do lado "israelense". Entre os assentamentos incluídos estaria o de Ariel, o segundo em tamanho na Cisjordânia, com cerca de 20 mil habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.