Israel detém supostos colaboradores do Hezbollah em Nablus

O Exército israelense deteve vários milicianos palestinos supostamente ligados ao grupo libanês Hezbollah, após a invasão de um edifício oficial da cidade de Nablus, na Cisjordânia no qual morreram várias pessoas.A invasão, segundo fontes de segurança palestinas, deixou cinco mortos, e pelo menos 20 feridos. Já o Exército israelense afirma que três pessoas foram mortas na ação.Escavadeiras do Exército israelense participaram da operação contra os milicianos refugiados no edifício -que abrigava forças de segurança regulares- e destruíram as instalações, segundo testemunhas palestinas.Durante a invasão, que durou várias horas, cerca de 4 mil palestinos se manifestaram a favor do Hezbollah em Nablus, e acabaram por enfrentar as forças israelenses.Segundo o Exército israelense, a operação aconteceu para deter cinco milicianos de diversas facções palestinas que colaboravam com a guerrilha libanesa xiita Hezbollah, que desencadeou a atual operação no Líbano ao seqüestrar dois soldados israelenses há 10 dias. Queda de helicópteros Dois helicópteros israelenses "Apache" colidiram também na sexta-feira (quinta-feira no Brasil) no norte de Israel, perto da fronteira com o Líbano, informaram fontes militares, que acrescentaram que os quatro ocupantes dos aparelhos ficaram feridos.As causas do acidente ainda não foram determinadas, mas as primeiras investigações apontam para uma falha técnica. Os dois "Apache" seguiam para o Líbano.Os helicópteros israelenses também intervieram na quinta-feira em apoio às tropas de infantaria que voltaram a fazer incursões além da fronteira para tentar destruir os abrigos e os lança-mísseis do Hezbollah, bem como túneis de acesso a Israel.O Exército diz ter encontrado mísseis, explosivos e outras armas em uma mesquita no Líbano.Casamento Os israelenses do norte que permaneceram em suas cidades apesar dos ataques do Hisbolá se esforçam para levar a vida normalmente, mas dois deles, Shlomi Boskila e Maya Lugasi, se excederam ao se casaram dentro de um abrigo.Boskila, de 29 anos, e Lugasi, de 22, se casaram ontem à noite em um abrigo da localidade de Kiryat Shmona, muito perto da fronteira com o Líbano, rodeados por pessoas próximas e jornalistas.Os casamentos, como outros atos públicos, foram suspensos no norte de Israel por razões de segurança, mas os noivos de Kiryat Shmona não quiseram adiar seu enlace por causa da crise e adaptaram a cerimônia às circunstâncias.O prolongamento do conflito faz com que os israelenses do norte tentem tocar a vida debaixo da terra. Em Haifa, por exemplo, aconteceu hoje em um abrigo, com poucas cadeiras e de forma modesta, a estréia de um filme que deveria ter sido lançado com certa badalação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.