Israel deve descongelar repasse de recursos a palestinos

O ministro da Defesa de Israel, o trabalhista Amir Peretz, recomendou ao primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, que reconsidere sua política de isolar o governo do Hamas, informou nesta quinta-feira a rádio do Exército israelense. Uma das principais razões para a nova postura é o dano à imagem de Israel no exterior causado pelo agravamento da situação humanitária nos territórios da Autoridade Nacional Palestina (ANP).Também nesta quinta-feira, a ministra de Relações Exteriores israelense, Tsipi Livni, anunciou a intenção do governo israelense de repassar à ANP os cerca de ? 8,8 milhões em impostos que estão retidos desde fevereiro em represália às posições extremistas do grupo islâmico Hamas, que ganhou as últimas eleições nos territórios palestinos. Ela disse também que pode facilitar o acesso de mercadorias à Faixa de Gaza.O dinheiro, no entanto, não será destinada ao pagamento dos salários dos funcionários públicos palestinos, atrasados há mais de dois meses. Livni explicou que vai utilizar o "mecanismo especial" proposto pelo Quarteto para o Oriente Médio para destinar as verbas a projetos humanitários. Em declarações à imprensa, Peretz anunciou ainda que ordenou ao general Yosef Mishlav, encarregado de coordenar as atividades do governo nos territórios palestinos, que elabore um plano para levar ajuda humanitária à ANP.Fontes do Ministério da Defesa informaram que o plano será apresentado ao Governo israelense para sua aprovação na próxima reunião do Conselho de Ministros, no domingo. Os principais pontos serão o pagamento do sistema de saúde e o fornecimento de equipamentos médicos, assistência e remédios."Temos que ajudar Mahmoud Abbas (o presidente da ANP) e reforçar a sua posição", declarou Peretz, insistindo na necessidade de suspender as medidas isolacionistas em relação à ANP. O ministro israelense também pensa em aliviar a política de transportes através das barreiras nas fronteiras entre Israel e a Faixa de Gaza. Ele teme que a situação de isolamento prejudique ainda mais a população palestina.A maior parte dos produtos e mercadorias que entram na Faixa de Gaza passa por território israelense. Os constantes bloqueios das passagens na fronteira, por razões de segurança, têm agravado nos últimos anos a qualidade de vida dos habitantes do território.A imprensa israelense também informou que Peretz pode ordenar o fim dos bombardeios com fogo de artilharia contra o norte da Faixa de Gaza. Os ataques se tornaram contínuos nos últimos meses, como forma de impedir o lançamento de foguetes Qassam contra Israel.Segundo Livni, as mudança na posição israelense é um resultado das pressões internacionais exercidas sobre Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.