Israel diz aos EUA que não descarta ataque contra o Irã

O ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, disse hoje que, em conversas com os mais graduados funcionários americanos, seu país não descarta um ataque militar contra o Irã. Barak, que já foi primeiro-ministro israelense, faz uma visita de dois dias a Washington e participa de reuniões na Casa Branca, no Pentágono e no Departamento de Estado. Ele revelou à imprensa que afirmou, durante os encontros, que ainda existe tempo para buscar uma solução diplomática com o Irã. Ao mesmo tempo, disse aos americanos que o Irã coloca uma ameaça maior ao mundo inteiro e por isso Israel "não removerá nenhuma opção da mesa." Os EUA também não descartaram um ataque militar para impedir a suposta busca do Irã por armas nucleares, mas uma investida israelense é mais provável a curto prazo. Barak não revelou que conselho ele recebeu dos americanos.Os Estados Unidos e Israel acusam o Irã de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. O governo iraniano nega, assegura que suas usinas atômicas têm fins estritamente pacíficos de geração de energia elétrica e já declarou em diversas ocasiões que não pretende interromper suas atividades nucleares.Já os funcionários americanos disseram a Barak que os planos israelenses de expandir os assentamentos judaicos na Cisjordânia são um problema no processo de paz com os palestinos. O tema será tratado nesta semana pela secretária de Estado, Condoleezza Rice, durante reuniões com importantes negociadores palestinos e israelenses.

AE-AP, Agencia Estado

29 de julho de 2008 | 15h24

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIsraelataqueIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.