Israel diz que eventos em Gaza não são bons para a paz

Segundo a ministra de Relações Exteriores, uma eventual tomada de controle da região pelo Hamas influirá na postura do país frente a Mahmoud Abbas

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 11h59

O governo de Israel afirmou nesta quarta-feira, 14, que os eventos dos últimos dias em Gaza não são bons para nenhuma iniciativa de paz, e que o impacto de um eventual controle do movimento islâmico Hamas sobre a faixa costeira será negativo para a região. "Seguimos de perto os eventos e se o Hamas conseguir controlar a Faixa de Gaza isto não será bom nem para os palestinos nem para Israel", disse à Efe o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores israelense, Mark Regev. O funcionário explicou que o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, viajará no dia 19 a Washington para se reunir com o presidente George W. Bush. Na semana que vem, a ministra de Relações Exteriores israelense, Tzipi Livni, irá à Europa para se reunir com o Conselho de Ministros de Relações Exteriores da União Européia. Em ambos os casos, a intenção será tratar sobre as possíveis perspectivas de paz para a região. Mas Regev sustenta que Israel "tem que digerir agora a nova situação e não podemos esperar que Abbas governe em Gaza se não a controla". Em um ato público em Jerusalém, Livni explicou que se o Hamas tomar o controle de Gaza isso pode influir na postura de Israel frente a Abbas, porque qualquer acordo com ele será muito difícil de ser aplicado. Israel se mantém à margem do conflito armado na Faixa de Gaza, embora suas forças ao redor da região estejam em estado de alerta há várias semanas devido ao lançamento de foguetes contra a cidade de Sderot. Esta semana, o número de foguetes disparados reduziu de forma drástica porque a milícia do Hamas está envolvida nas últimas 48 horas em uma operação para a tomada do controle da faixa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.