Israel diz que incursões no Líbano continuam

Governo israelense informou que operações no Líbano vão continuar até que uma força multinacional se estabeleça no país. Na primeira ruptura importante da trégua observada desde segunda-feira, comandos israelenses desembarcaram de helicópteros na madrugada deste sábado num vilarejo perto de Baalbek, a 15 quilômetros da fronteira com a Síria, e atacaram uma base do Hezbollah. A incursão teve como objetivo evitar que o Hezbollah siga recebendo armas. A primeira informação do confronto foi divulgada pela TV Al-Manar, do Hezbollah, que afirmou que os combatentes "frustraram" a operação.Mais tarde, o Exército israelense informou que os comandos tiveram êxito na missão de "prevenir e interferir em atividades terroristas contra Israel, especialmente o contrabando de armas do Irã e da Síria para o Hezbollah".De acordo com fontes libanesas ouvidas pela Associated Press, os comandos israelenses desceram de helicóptero perto do vilarejo de Boudai, a oeste de Baalbek. Segundo essas fontes, aparentemente o alvo se encontrava dentro de uma escola.O governador do Vale do Bekaa, Antoine Suleiman, disse à Rádio Líbano que os israelenses desembarcaram com dois veículos. Aviões israelenses sobrevoavam intensamente a região de Baalbek, 85 quilômetros a leste de Beirute, que também sofre contínuo monitoramento de aeronaves não tripuladas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.