Israel diz ter impedido plano para matar Sharon

Agentes de segurança israelenses desmantelaram um complô do grupo extremista Hamas para assassinar o primeiro-ministro Ariel Sharon, informam autoridades. A célula terrorista foi descoberta com a prisão, em meados de junho, de dois palestinos moradores de Jerusalém que, ao que parece, conduziram à cidade os extremistas responsáveis por atentados que causaram mais de 20 mortes.Em 21 de junho, o líder da célula, Abdula Kawasme, foi morto por soldados da Israel. O grupo chefiado por Kawasme estava recolhendo informações sobre Sharon e outros altos funcionários, aparentemente para seqüestrá-los ou matá-los, diz o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.