Israel é acusado de fazer campanha contra liberdade de imprensa

A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) acusou hoje o governo de Israel de promover uma campanha contra repórteres cobrindo suas operações militares. "O Exército de Israel está promovendo uma pavorosa campanha que tem alvejado a mídia e jornalistas", disse o secretário-geral da FIJ, Aiden White. "Repórteres continuam sendo detidos, alvejados vitimados. Trata-se de uma campanha sem precedentes contra a liberdade de imprensa".A FIJ citou vários casos de jornalistas sendo "feridos, presos, expulsos e ameaçados" por forças israelenses na Cisjordânia e Faixa de Gaza. Foi lembrada a prisão de 10 jornalistas palestinos durante confrontos em Belém na última semana, e os ferimentos a bala sofridos pelo correspondente do Boston Globe Anthony Shadid e pelo repórter da Nile TV Carlos Handal.Num comunicado, a FIJ afirma que as autoridades israelenses deveriam "ser responsabilizadas por suas ações", e acrescentou que o tratamento sendo dispensado à mídia é uma "violação da lei internacional".A FIJ também criticou a Autoridade Palestina por intimidar repórteres e confiscar materiais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.