Israel é apontado pelos europeus como a maior ameaça à paz mundial

Israel foi descrito como a maior ameaçaà paz mundial - à frente da Coréia do Norte, do Afeganistão e do Irã - de acordo com uma pesquisa não-publicada da Comissão Européia que ouviu 75 mil europeus, informa o The Guardian. Segundo o jornalbritânico, a pesquisa, feita em outubro, com 500 pessoas de cadaum dos países-membros da União Européia, incluía uma lista de 15países com a pergunta: "diga, na sua opinião, se este paísrepresenta ou não uma ameaça à paz no mundo". Israel foiescolhido por 59% dos entrevistados.De acordo com o diário, o vazamento dos resultados dapesquisa para o jornal espanhol El País e o International HeraldTribune iniciou uma disputa diplomática internacional, com umgrande grupo judaico de lobby e direitos humanos, o SimonWiesenthal Centre, exigindo que a UE seja excluída do processode paz israelense e palestino e acusando a Europa de estarsofrendo da pior epidemia de anti-semitismo desde a 2ª GuerraMundial.Segundo a reportagem, os resultados parecem ser umamanifestação da ampla desaprovação da Europa com relação àstáticas empregadas pelo governo de Ariel Sharon na atualIntifada. O The Guardian afirma que ministros e porta-vozesisraelenses também tiveram problemas ao insistir que umadefinição moderna de anti-semitismo deveria incluir as críticasà maneira como o Estado de Israel decide se proteger, definindo-as como um ataque aberto à sobrevivência israelense.Ainda de acordo com o jornal, integrantes do governo deSharon contiveram os esforços de Tony Blair e de funcionáriosbritânicos para tentar mediar os dois lados. A certo ponto, osjornalistas foram informados de que Israel acreditava que oministério de relações exteriores tinha uma tendência arabista.Ao reagir à pesquisa, segundo o Guardian, o Simon WiesenthalCentre, que declara ter 400 mil membros só nos EUA, começou aredigir uma petição para condenar a Comissão Européia e exigirque a UE não seja mais representada no chamado Quarteto quetenta mediar o fim da violência entre Israel e ospalestinos."Esta pesquisa é uma indicação de que os europeus compraramintegralmente a campanha de demonização dirigida contra o Estadode Israel e seus defensores pelos líderes europeus e sua mídia",disse ao The Guardian o rabino Marvin Hier, fundador doWiesenthal Centre. "Esse resultado chocante de que Israel é amaior ameaça à paz mundial, maior do que a Coréia do Norte e oIrã, desafia a lógica e é um vôo racista fantasioso que apenasmostra que o anti-semitismo está profundamente arraigado nasociedade européia, mais do que em qualquer outro período desdeo final da guerra."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.