Israel e EUA iniciam exercícios conjuntos com mísseis

Forças israelenses e americanas dispararam nesta terça-feira mísseis Patriot como parte de um exercício conjunto para testar suas defesas aéreas, e o ministro de Defesa israelense disse que uma guerra entre EUA e Iraque é "aparentemente inevitável". Uma testemunha viu quando foram disparados seis mísseis de uma bateria no deserto do Negev. Militares israelenses confirmaram os seis lançamentos e disse que outros mais poderão ser lançados nos próximos dias. Durante a Guerra do Golfo Pérsico em 1991, o Iraque lançou 39 mísseis Scud contra Israel, causando danos, mas poucos ferimentos. Todos os Scud eram dotados de ogivas. Funcionários temem que, num novo conflito, o Iraque possa usar armas químicas ou biológicas contra Israel. Falando durante uma visita aos navios da Marinha em Haifa, o ministro israelense da Defesa, Shaul Mofaz, disse que a administração americana está "determinada a levar adiante o ataque, e posso dizer, com a devida cautela, que esse ataque seja inevitável". Mofaz inspecionava os reparos que estão sendo feitos num submarino israelense da classe Dolphin que, segundo especialistas, pode ser dotado de mísseis nucleares, dando a Israel uma segunda chance de responder a um ataque com armas de destruição em massa. Israel recebeu três desse tipo de submarino, que é fabricado na Alemanha. O primeiro, que chegou em julho de 1999, está sendo reparado há um ano e meio, segundo Mofaz - que não explicou, no entanto, que tipo de reparo está sendo feito. Ele disse que os reparos deverão "restaurar toda a capacidade do Dolphin". Funcionários israelenses sempre se recusaram a discutir o potencial nuclear dos armamentos israelenses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.