Israel e EUA vão coibir contrabando de armas do Irã

Durante a entrevista coletiva na qual confirmou o cessar-fogo na Faixa de Gaza com o grupo militante islâmico Hamas, o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, anunciou que seu país e os Estados Unidos combaterão o contrabando de armas do Irã para o território palestino.

O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 02h03

"Israel não pode observar passivamente seus inimigos adquirindo armas terroristas", disse Netanyahu. "Concordei com o presidente (Barack) Obama em trabalhar em conjunto contra contrabando destinado a organizações terroristas. A maioria dessas armas vem do Irã."

Ainda ontem, o presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, confirmou que o país presta uma "assistência militar" ao Hamas. "Estamos orgulhosos de defender o povo da Palestina e o Hamas", declarou Larijani, de acordo com a agência oficial Icana. "Também temos orgulho de que nossa ajuda seja de natureza financeira e militar."

O Irã é um dos principais aliados do Hamas no Oriente Médio. O míssil Fajr, de fabricação iraniana, tem um alcance de 70 km, superior aos tradicionais Qassan utilizados pelo movimento palestino e no atual conflito com Israel atingiu os arredores de Tel-Aviv, a maior cidade israelense.

A relação entre Irã e Israel é conflituosa principalmente em virtude do programa nuclear persa. Netanyahu ameaça atacar o Irã para impedi-lo de ter a capacidade de fabricar armas nucleares. Teerã diz que o projeto é pacífico. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.