Israel e Hamas avaliam trégua em Gaza

Cessar-fogo proposto por Egito será considerado pelas duas partes, em conflito há oito dias

JERUSALÉM, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2014 | 02h01

Israel e o Hamas anunciaram nesta madrugada (horário local) que vão avaliar o plano de trégua gradual na Faixa de Gaza proposto na noite de ontem pelo Egito. O secretário de Estado americano, John Kerry, deve chegar hoje ao Cairo para tentar negociar um cessar-fogo.

A proposta do Egito - que foi mediador da última crise na região - foi apresentada pouco antes do início de uma reunião de emergência entre os Ministros de Relações Exteriores da Liga Árabe, convocada para discutir a ofensiva israelense, que em oito dias deixou pelo menos 186 palestinos mortos, a maioria civis. De acordo com a ONU, um quarto dos mortos é de crianças. As autoridades palestinas afirmaram que mais de 1,3 mil pessoas foram feridas.

Ao receber a proposta egípcia, o Hamas afirmou que reconsideraria a ideia de cessar-fogo se um acordo completo sobre o conflito entre israelenses e palestinos não fosse negociado. "Um cessar-fogo sem alcançarmos um acordo está fora de cogitação. Em tempos de guerra, não dá para aceitar o cessar-fogo para negociar depois", disse o porta-voz do Hamas, Fawzi Barhum.

O gabinete de segurança do primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, também se reuniria "nas primeiras horas do dia para examinar seriamente" as propostas do Egito, de acordo com uma fonte ouvida pela AFP.

A iniciativa do Cairo prevê "o cessar total de todas as hostilidade aéreas, marítimas e terrestres" e a abertura imediata de negociações sobre a entrada de pessoas e bens no território palestino, atualmente bloqueado, de acordo com o texto divulgado pela chancelaria egípcia.

Além da trégua, que passaria a valer já a partir das 6h de hoje, a medida prevê que em 48 horas delegações de ambas as partes sejam recebidas para iniciar discussões indiretas.

A proposta foi divulgada pouco depois de a viagem do secretário de Estado dos EUA, John Kerry, ao Egito ser confirmada como parte dos esforços diplomáticos para negociar o fim das hostilidades entre Israel e o Hamas em Gaza. "Kerry viajará ao Egito amanhã (hoje) para discussões com representantes de alto escalão", anunciou a agência egípcia Mena.

Drones. Ainda ontem, Israel interceptou um drone do Hamas que havia decolado da Faixa de Gaza e sobrevoava as proximidades da cidade israelense de Ashdod, mais de 20 quilômetros ao norte do território palestino. O movimento islâmico confirmou que fabricou e fez voar três tipos de aeronaves não tripuladas em operações contra seu inimigo.

O Hamas publicou fotos do que afirma ser um de seus drones. Pelas imagens, não é possível saber o tamanho da aeronave ou sua capacidade. Segundo o grupo islâmico, seus aviões não tripulados são variações do drone iraniano Ababil-1 - dois deles estariam equipados para atacar e o outro, para missões de reconhecimento.

Organizações internacionais investigam uma denúncia de que Israel estaria usando armamento proibido contra Gaza.

Estima-se que, enquanto os palestinos lançaram mais de 800 foguetes contra o território israelense, as forças de Israel tenham feito cerca de 1,3 mil ataques aéreos contra Gaza. / NYT, AFP, EFE e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.