Israel eleva estado de alerta para possível retaliação do Hezbollah

Grupo libanês afirma que Israel é o responsável pelos ataques aéreos de domingo ao lado sírio das Colinas de Golã, que mataram, entre outros, um proeminente líder do grupo e um general iraniano

O Estado de S. Paulo

20 de janeiro de 2015 | 16h01

JERUSALÉM - Autoridades israelenses colocaram o país em alto estado de alerta para possíveis retaliações do Hezbollah, depois que ataques aéreos mataram militantes do grupo que combatiam na Síria.

Segundo autoridades israelenses de Defesa, o país opera o seu sistema de defesa antiaérea, apelidado de Cúpula de Ferro, na fronteira com o Líbano e a Síria, e tem aumentado as ações de vigilância na área. O gabinete de segurança do país deve se encontrar nos próximos dias para tratar de uma possível escalada da violência, disseram.

O Hezbollah afirma que Israel é o responsável pelos ataques aéreos de domingo ao lado sírio das colinas do Golã, que mataram, entre outros, um proeminente líder do grupo e um general iraniano. Israel não confirma nem nega a autoria do ataque. / ASSOCIATED PRESS 

Tudo o que sabemos sobre:
Israelestado de alerta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.