Israel entrega ao Hamas lista para troca de prisioneiros

O governo israelense informou hoje que não barganhará "a qualquer custo" a libertação de um militar aprisionado por milicianos palestinos na Faixa de Gaza e enviou ao grupo islâmico Hamas uma lista com os nomes dos prisioneiros que pretende trocar pelo soldado Gilad Shalit. Líderes israelenses estão sob forte pressão interna para solucionar o caso do sargento capturado por milicianos palestinos em junho de 2006 na fronteira de Israel com a Faixa de Gaza.

AE-AP, Agencia Estado

22 de dezembro de 2009 | 15h39

Uma série de reuniões entre os principais ministros do governo israelense alimentou esperanças de que um acordo estaria próximo, mas os indícios de divergência persistem. Hoje, o ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, declarou que a prioridade do governo é obter a libertação de Shalit, "não a qualquer custo, mas pelas vias possíveis e pertinentes".

A mídia israelense noticiou hoje que o país entregou ao Hamas uma resposta à exigência de libertação de mil palestinos mantidos em prisões israelenses, muitos dos quais envolvidos em ações armadas. Sem identificar fontes, alguns veículos israelenses de comunicação publicaram que Israel aceitaria a troca se o Hamas concordasse com a deportação de prisioneiros considerados violentos.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelPalestinasoldadotroca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.