Israel estende lei que proíbe cônjuge palestino de morar no país

O gabinete de Israel aprovou neste domingo a extensão de uma lei que impede palestinos casados com cidadãos israelenses - sejam eles árabes ou judeus - de morarem no país. A lei, aprovada no ano passado por um período inicial de um ano, foi ampliada por seis meses. O projeto ainda precisa ser aprovado pelo Parlamento do Estado judeu. O parlamentar árabe israelense Azmi Bishara denunciou a decisão do gabinete como racista: "Existe um consenso democrático internacional de que a lei de Israel discrimina um grande número de seus próprios cidadãos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.