Israel exige fim de ataques palestinos para negociar

Israel exigirá a cessação total dos ataques da resistência palestina, como condição para negociar com o governo que vencer as eleições palestinas do próximo 9 de janeiro, declarou nesta segunda-feira o vice-ministro de Defesa, Zeev Boim. "As organizações assassinas seguem operando e portanto segue de pé a firme exigência de Israel à Autoridade Nacional Palestina (ANP), para que cesse a violência como condição para todo o progresso futuro", acrescentou Boim. As declarações foram uma resposta ao ataque combinado de milicianos do Movimento de Resistência Islâmica (Hamas) e da Al Fatah, que domingo causou a morte de cinco soldados israelenses e deixou seis feridos, na Faixa de Gaza. O governo do primeiro-ministro israelense Ariel Sharon informou que descarta a possibilidade de operações em grande escala. Desde morte de Yasser Arafat, dia 11 de novembro, as facções da resistência palestina lançaram 42 ataques contra posições militares e assentamentos judaicos no território que Israel ocupa desde 1967. Porta-vozes do Hamas e da Al Fatah anunciaram domingo que seguirão com suas operações contra o exército israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.