Israel exige libertação de soldado para aceitar trégua

Em um último esforço para obter a libertação de Guilad Shalit antes de deixar o cargo, o premiê de Israel, Ehud Olmert, disse ontem que só aceitará um cessar-fogo na Faixa de Gaza se o Hamas libertar o soldado israelense, capturado em 2006.Membros do grupo islâmico palestino disseram na semana passada que estavam perto de anunciar uma trégua de 18 meses no território e negociavam os últimos detalhes com outras facções, mas a questão do soldado só seria discutida no futuro. O Hamas não acredita que Israel, que está trocando de governo, cumprirá suas promessas de cessar-fogo - principalmente manter as fronteiras de Gaza abertas - se Shalit for libertado.NOVO GOVERNOA chanceler israelense, Tzipi Livni, disse ontem que se não se tornar premiê de Israel liderará da oposição o Partido Kadima (atualmente no poder). Ela declarou que não aceitará um governo de união com o direitista Likud, de Binyamin Netanyahu, se for para ficar com um cargo reduzido. O Kadima (centro) obteve 28 das 120 cadeiras da Knesset (Parlamento israelense). O Likud obteve uma cadeira a menos. Para formar um governo são necessárias pelo menos 61 assentos. "A alternância de poder é o mínimo que o Kadima exige para formar um governo, senão irá para a oposição", disse o ministro de Segurança Interna, Avi Dichter.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.