Israel expulsará ativistas estrangeiros pró-palestinos

Soldados de Israel detiveram nove ativistas estrangeiros durante um protesto contra a ocupação israelense de territórios palestinos. Segundo a polícia, todos serão deportados. Entre os detidos está Adam Shapiro, um judeu americano que passou uma noite no quartel-general do líder palestino Yasser Arafat, quando a sede foi sitiada pelas forças israelenses, em abril. A esposa de Shapiro, Huwaida Arraf, uma americana de origem palestina, contou que os ativitas foram detidos na quarta-feira durante um protesto perto da aldeia de Hawara, nos arredores da cidade de Nablus, na Cisjordânia. Quarenta membros do Movimento Internacional de Solidariedade, pró-palestino, participaram da manifestação ao lado de 250 palestinos. Eles marchavam em direção a Nablus quando foram interceptados por tropas israelenses que lançaram tiros para o ar e atiraram gás lacrimongêneo contra o grupo. Os manifestantes tentaram prosseguir a marcha, mas as forças de segurança os espancaram e deram coronhadas com seus rifles. O porta-voz policial israelense, Gil Kleiman, disse que os nove estrangeiros foram detidos por perturbarem e atacarem oficiais da polícia. Além dos ativistas americanos, cinco franceses e um irlandês serão deportados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.