Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Israel fecha fronteira com Cisjordânia em meio a tensões

O governo israelense fechou hoje a fronteira com a Cisjordânia. Israelenses e palestinos vivem um período de maior tensão, após o anúncio ocorrido na terça-feira de que Israel liberou a construção de mais 1.600 casas em Jerusalém Oriental, área que os palestinos querem como a capital de seu futuro Estado. Há ainda temor de que possa haver novos distúrbios na mesquita de Al-Aqsa.

AE, Agencia Estado

12 de março de 2010 | 09h46

A polícia israelense também impediu que homens com menos de 50 anos entrassem no complexo da mesquita, em Jerusalém. A área é sagrada tanto para muçulmanos quanto para judeus e houve ali confrontos na semana passada, quando manifestantes palestinos jogaram pedras em policiais israelenses.

O ministro da Defesa, Ehud Barak, ordenou que o Exército feche a Cisjordânia até a meia-noite de sábado, segundo um porta-voz do Exército, citando mais riscos de ataques. Desde o início da segunda Intifada palestina, em 2000, Israel fecha a Cisjordânia em feriados importantes, mas raramente em outras ocasiões.

O fechamento foi anunciado um dia após o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, concluir uma visita à Cisjordânia e a Israel para promover a retomada das negociações indiretas de paz entre os dois lados. A viagem foi ofuscada pelo anúncio do Ministério do Interior de Israel de que liberou a construção de mais 1.600 casas em Jerusalém Oriental.

O anúncio foi criticado pela administração norte-americana, provocando condenação internacional e também dúvidas sobre a possibilidade de as conversas indiretas avançarem. Após o anúncio, autoridades palestinas anunciaram que não pretendem retomar as conversas. O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, exigiu garantias dos EUA de que Israel interromperá as construções em Jerusalém Oriental. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.