Israel foi informado de que base da ONU estava sob bombardeio

Funcionários das forças de paz da ONU no sul do Líbano fizeram dez ligações para o Exército israelense em um período de seis horas para pedir o fim dos ataques próximos a base da organização destruída na terça-feira, informa um relatório preliminar da ONU sobre o incidente. Quatro observadores militares da Força Interina da ONU no Líbano (Finul) que estavam no local morreram no bombardeio, que revoltou o secretário-geral da ONU, Kofi Annan. Em cada um dos telefonemas, oficiais israelenses prometiam cancelar os bombardeios, o que não ocorreu.Segundo os relatos dos membros das forças de paz da ONU que estavam na base, uma área com raio de um quilômetro ao redor do posto vinha sendo atingida por mísseis de precisão, incluindo 17 bombas e 12 munições de artilharia - quatro das quais caíram diretamente sobre o posto.A informação reforça o relato do vice-secretário-geral da ONU, Jan Egeland, que afirmou nesta quarta-feira que a morte dos quatro observadores militares foi provocada por um "míssil guiado".Ainda de acordo com fontes da ONU que tiveram acesso às investigações sobre o ataque, a base, próxima à cidade de Khiyam, ficou sob fogo israelense 21 vezes ao longo da terça-feira. Doze dos tiros caíram a 100 metros da base, e quatro atingiram precisamente o posto. CríticasLogo após a confirmação das mortes dos observadores, o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, condenou o ataque, que, segundo ele, foi "aparentemente deliberado" - acusação prontamente rechaçada pelo primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert. Annan prometeu uma investigação profunda do incidente.Os corpos de três dos quatro observadores que estavam dentro do posto foram encontrados. O quarto, no entanto, permanece soterrado.Além das ligações feitas pelos observadores, a assistente do secretário-geral para as forças de paz, Jane Lute, e o sub-secretário-geral Mark Malloch Brown também realizaram várias ligações para a missão de Israel na ONU "reiterando os protestos e pedindo um cancelamento do tiroteio", disse Lute.Assim que os contatos com o observadores em Khiyam cessaram, blindados da ONU foram autorizados a chegar ao local para evacuar a área. Eles chegaram às 21h30 ao local, e "encontraram o abrigo destruído e grandes danos nas áreas adjacentes", completou Lute. Ainda segundo ela, a garantia dada por Israel de conceder passagem livre aos grupos de resgate não foi comprida, e os blindados também ficaram sob fogo israelense.Nesta quarta-feira, uma outra instalação da ONU no Líbano quase foi atingida. Por volta das 15h (horário local), um artefato de artilharia caiu a cerca de 10 metros do quartel general das forças de paz da organização na cidade de Naqoura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.