Israel imobilizado por greve geral

A maior união comercial de Israel começou uma greve geral nesta quarta-feira, fechando o único aeroporto internacional e todos os portos do país. A greve começou após a união Histadrut não conseguir chegar a um acordo com o governo sobre o fornecimento de fundos para os conselhos regionais, que não têm conseguido pagar seus funcionários há meses. A questão tem sido um assunto delicado entre o Histadrut e o Ministério das Finanças há anos, com o governo afirmando que o planejamento pobre e a improbidade administrativa dos conselhos regionais os levaram à falência. No aeroporto Ben Gurion, em Tel-Aviv, as luzes estavam apagadas e todos os vôos, partidas e chegadas, foram cancelados. Por todo o país os trens pararam, ministérios do governo mantiveram as portas fechadas, o lixo começou a se acumular, e os serviços de correio, telefone e de energia foram interrompidos. Não está claro qual será a duração da greve. No passado, greves gerais em Israel duraram por dias, custando ao mercado milhões em perdas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.