Israel influenciou decisão de Clinton no caso Rich

O apoio de Israel à causa de Marc Rich, o controverso financista a quem Bill Clinton concedeu perdão em seu último dia na Casa Branca, influenciou "profundamente" a decisão do ex-presidente. A informação foi dada pelo próprio Clinton em uma conversação telefônica, não gravada, com o apresentador Geraldo Rivera, do talk show "Rivera Life", da rede de televisão CNBC. Para Clinton, que falou pela primeira vez sobre o assunto, "não existe um único elemento de prova" que demonstre que ele tenha feito algo de errado no caso Rich. O ex-presidente se disse "desconcertado" com as hipóteses levantadas de que o perdão fora concedido em troca de doações para os democratas. Clinton também admitiu que Israel desempenhou um papel importante no caso. A favor do perdão a Rich pronunciaram-se o Mossad - serviço interno de segurança israelense -, com quem o financista colaborou, judeus influentes e o próprio primeiro-ministro em exercício de Israel, Ehud Barak.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.