Israel inicia ofensiva terrestre em larga escala no sul do Líbano

Israel deu início a uma ofensiva terrestre expandida no sul do Líbano depois de expressar sua insatisfação com um acordo emergente de cessar-fogo, disseram funcionários do governo.O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, e seu ministro da Defesa, Amir Peretz, tomaram a decisão de expandir a ofensiva depois de um encontro de quatro horas nesta sexta-feira. Peretz instruiu o Exército a lançar a ofensiva, segundo oficiais.O porta voz de Olmert, Asaf Shariv, disse à Associated Press que a incursão expandida já começou. Segundo Shariv, o acordo de cessar-fogo planejado pelo Conselho de Segurança da ONU não consegue atingir os requerimentos básicos de Israel, como o posicionamento de tropas de combate internacionais no sul do Líbano uma vez que Israel recuar."Na quinta-feira estávamos muito otimistas, mas eles (o Conselho de Segurança) tomaram o rumo errado", disse Shariv.O governo decidiu implementar uma decisão de gabinete na quarta-feira dando ao Exército a permissão para realizar uma ofensiva terrestre de larga escala "para lidar com as posições do Hezbollah no sul do Líbano, das quais mísseis continuam a ser lançados contra a população civil israelense", disse o porta-voz do Ministério de Exteriores, Mark Regev.Regev acrescentou, no entanto, que Israel ainda estava aberto a uma solução negociada enquanto o Conselho de Segurança da ONU se prepara para votar em um acordo de cessar-fogo proposto."Nossa ação não exclui uma opção diplomática. Pelo contrário, estamos acompanhando os desenvolvimentos em Nova York de perto. Mas até agora a diplomacia não produziu resultados concretos e é incumbência do governo defender seus cidadãos", disse Regev.A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, telefonou a Olmert nesta sexta para perguntar a ele se ainda há espaço para a diplomacia resolver a crise no Oriente Médio, afirmou uma fonte próxima ao governo de Israel.Olmert indicou que estaria disposto a cancelar a ofensiva se as demandas básicas de Israel forem aceitas, disse a fonte, em condição de anonimato.Mesmo após o anúncio israelense, Rice disse que a diplomacia continuou. "Estamos trabalhando por uma votação hoje", disse enquanto entrava no Conselho de Segurança.O ministro de Exteriores israelense, Tzipi Livni, falou com Rice e lhe disse que Israel não aceitará nenhum acordo de cessar-fogo, reportou o canal de TV One.Nesta semana, o Gabinete de Segurança de Israel aprovou um ampla ofensiva até o Rio Litani no Líbano, cerca de 30 quilômetros ao norte da fronteira entre Israel e Líbano. Matéria alterada às 14h57 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.