Israel inicia vacinação preventiva a um ataque do Iraque

Um hospital de Israel começou a vacinar trabalhadores de serviços de emergência contra a varíola em uma ação preparatória para um eventual ataque do Iraque, de acordo com autoridades israelenses. A vacinação ocorre em meio ao aumento dos temores de que o Iraque atinja Israel no caso de uma ação dos EUA contra o governo de Bagdá. Esse medo elevou as vendas de filtros de ar, ansiolíticos e água engarrafada em Israel.O vice-ministro da Defesa de Israel, Weizman Shiri, afirmou que o país está bem preparado para um eventual ataque com armas químicas ou biológicas pelo Iraque. "Eu afirmo, do fundo do meu coração e não apenas para acalmar a população, que Israel está preparado", afirmou Shiri. "Seria mais fácil para eles (iraquianos) lançarem um ataque biológico contra os EUA e não contra Israel", disse. O governo de Israel decidiu, no mês passado, inocular 15.000 funcionários de serviços emergenciais contra a varíola. A campanha começou ontem, com o hospital de Tel Aviv vacinando cerca de 30 pessoas por dia. Ao mesmo tempo, o governo de Israel ordenou o aumento da produção de máscaras contra gás para prevenir uma crise de oferta com a aproximação do vencimento do prazo de validade de 600 mil máscaras. No caso de uma ameaça real de um ataque biológico, Shiri informou que as autoridades israelenses levariam quatro dias para vacinar toda a população contra a varíola.Israel tem um estoque de vacina duas vezes e meia superior ao número da população. A empresa Shavrav, que fabrica filtros de ar, registrou um aumento de 300% nas vendas do produto, enquanto as companhias engarrafadoras de água observaram crescimento de 25% nas vendas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.