Israel intensifica combates em Gaza na busca por soldado

Segundo Ministério da Saúde em Gaza, o número de palestinos mortos chegou a 1.654 neste sábado. Do lado israelense, são 61. Hamas nega que tenha capturado militar

O Estado de S. Paulo , O Estado de S. Paulo

02 de agosto de 2014 | 10h35

GAZA - Israel intensificou neste sábado, 2, suas operações militares na Faixa de Gaza na busca pelo soldado que, segundo o Exército, teria sido capturado em uma emboscada na manhã de sexta-feira no território palestino. O número de mortos no 26º dia do conflito chegou a 1.654 do lado palestino, segundo o Ministério da Saúde em Gaza. A grande maioria, de civis. Do lado israelense, são 61 mortos, a maioria, soldados.

O porta-voz do Ministério da Saúde em Gaza, Ashraf Al-Qedra, disse que dois terços das vítimas palestinas são civis, incluindo crianças, mulheres e idosos. As agências de notícias afirmaram que sete palestinos, seis da mesma família, morreram neste sábado quando a casa em que estavam foi atacada por um bombardeio israelense em Rafah.

A cidade, onde Israel diz que o soldado Hadar Goldin, de 23 anos foi sequestrado,  tem sido duramente castigada desde sexta-feira. O grupo palestino que controla a Faixa de Gaza, o Hamas, negou que tenha capturado o militar. Os militantes disseram não ter informações sobre as circunstâncias do seu desaparecimento.

Um cessar-fogo mediado pelo Egito fracassou na sexta-feira poucas horas depois de entrar em vigor. Uma delegação palestina, incluindo autoridades do Hamas, deve chegar mais tarde neste sábado ao Cairo para novas negociações.

Israel informou, porém, que não enviará representantes às negociações no Cairo como planejado. Autoridades do país alegaram que o grupo islâmico "não está interessado em um compromisso" e tenta enganar mediadores internacionais.

Ao mesmo tempo, o Exército israelense autorizou neste sábado que os moradores de Beit Lahiya, no norte da Faixa de Gaza, voltem às suas casas, em uma indicação de que teria encerrado as operações nesta parte do território. "Os habitantes do norte da Faixa de Gaza receberam uma mensagem na qual são informados de que podem voltar ao setor de Beit Lehiya", afirmou um comunicado do Exército. "Aconselha-se aos moradores que tenham cuidado com os artefatos explosivos que o Hamas disseminou na região", prossegue o texto. / AFP, EFE, AP e REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelFaixa de GazaHadar Goldin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.