Baz Ratner/Reuters
Baz Ratner/Reuters

Israel intensifica defesa na fronteira temendo retaliação da Síria

Israelenses fazem filas para receber máscaras para gás, preparam abrigos antibombas e treinam estudantes

Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 10h14

(Atualizada às 14h50) TEL-AVIV - Israel determinou uma mobilização em pequena escala de reservistas nesta quarta-feira, 28, e fortaleceu suas defesas de mísseis como precaução contra um eventual ataque sírio, caso o Ocidente decida cumprir as ameaças de realizar ataques na Síria. Uma autoridade israelense que recebeu informações sobre uma reunião do gabinete de segurança do primeiro-ministro Binyamin Netanyahu disse que a probabilidade de Israel ser alvo de um ataque sírio, seu vizinho ao norte e inimigo de longa data, é pequena. "Depois de uma avaliação de segurança realizada hoje, não há razão para uma mudança nas rotinas normais", disse Netanyahu em comunicado. "Estamos, em paralelo, nos preparando para qualquer cenário." Isso inclui uma convocação limitada de soldados da reserva das Forças Armadas e o envio de um escudo avançado contra mísseis para o norte, disse a autoridade. A Rádio Israel disse que a mobilização de centenas de tropas nas áreas de inteligência e defesa aérea foi autorizada.

Vários israelenses faziam fila em centros de distribuição de máscaras para gás em comunidades próximas à fronteira, além de preparar abrigos antibomba.

Sivan Yehieli, presidente do comitê de resposta civil emergencial na fronteira israelense com a Síria e o Líbano, disse à Rádio do Exército que cidades da região estão se preparando para um possível ataque, preparando abrigos antibomba e treinando estudantes a como fugir para esses locais. "Os cidadãos precisam estar tão preparados quanto o Exército", disse Yehieli. "Não queremos ser surpreendidos."

Damasco, que enfrenta um ataque potencialmente iminente dos EUA e outras potências ocidentais por conta do ataque com armas químicas na semana passada, sinalizou que pode revidar contra Israel, que também pode enfrentar uma série de disparos de foguete realizados pelo Hezbollah, milícia libanesa aliada da Síria.

Netanyahu disse na terça-feira que Israel buscou permanecer fora da crise na Síria, mas vai responder com força a qualquer tentativa de ataque.

Nenhuma movimentação especial ou exercício de tropas foi ordenado, mas baterias adicionais dos sistema Domo de Ferro e mísseis Patriot foram enviados nesta quarta-feira para a região próxima à fronteira, informaram funcionários da Defesa. Israel usa mísseis Patriot para deter mísseis de médio alcance e o sistema Domo de Ferro tem o objetivo interceptar foguetes disparados de curtas distâncias (até 70 quilômetros).

O governo israelenses afirma que o Domo de Ferro derrubou quatro foguetes lançados do Líbano em direção ao norte de Israel na semana passada e interceptou um foguete lançado na direção da cidade de Eilat, no Mar Vermelho, no início deste mês.

As autoridades de Defesa também disseram acreditar que os Estados Unidos realizarão um ataque nos próximos dias, mas que Israel deve receber uma notificação americana antes da ação. As fontes falaram em condição de anonimato./ AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.