Israel intensifica ofensiva aérea na Faixa de Gaza

Israel intensificou sua ofensiva aérea na Faixa de Gaza nesta quinta-feira, atingindo centenas de alvos do Hamas. Os palestinos informaram a morte de 16 pessoas em ataques que atingiram uma casa e um café a beira mar. O sistema de defesa antiaéreo de Israel interceptou, mais uma vez, foguetes disparados por militantes.

Agência Estado

10 de julho de 2014 | 09h26

O porta-voz militar tenente-coronel Peter Lerner disse que Israel atingiu mais de 320 alvos do Hamas durante a noite, com foco em túneis subterrâneos e locais de lançamento de foguetes. Com isso, subiu para 750 o número de alvos atingidos em três dias de uma pesada ofensiva que deixou pelo menos 80 palestinos mortos.

Lerner disse que Israel já mobilizou 20 mil reservistas para uma possível operação em solo no território de Gaza, mas por enquanto Israel permanece concentrado em maximizar sua ofensiva aérea. Uma invasão por terra poderia resultar em pesadas baixas civis do lado palestino, além de colocar as forças israelenses em perigo.

Nenhum dos lados mostra qualquer sinal de que vá interromper os confrontos, que são os mais intensos desde a batalha de oito dias no final de 2012. Israel diz que o Hamas deve parar de lançar foguetes de Gaza para, só então, estudar uma trégua. Os militantes dispararam centenas de foguetes que atingem todo o território israelense, embora ninguém desse lado tenha sido seriamente ferido, já que o "Domo de Ferro", o sistema de defesa de Israel, já interceptou pelo menos 70 desses projéteis em grandes centros urbanos.

"A ofensiva terrestre precisar ser a última opção e ser usada apenas se for absolutamente necessário. Trata-se de um plano de ação cuidadosamente elaborado", afirmou Lerner.

Autoridades de saúde palestinas disseram que um ataque na madrugada desta quinta-feira atingiu uma casa na cidade de Khan Yunis, sul de Gaza, matando oito integrantes da família Al Haj. Mais cedo, pelo menos oito pessoas foram mortas após um ataque contra um café a beira-mar em Gaza, onde as pessoas assistiam a semifinal da Copa do Mundo de futebol entre Argentina e Holanda, afirmou Mahmoud Sawali, que disse ter perdido pelo menos dois de seus irmãos no ataque.

O Exército de Israel disse estar investigando os dois incidentes e que atingiu um carro que levava três integrantes do grupo Jihad Islâmica envolvidos no disparo de foguetes. O grupo militante confirmou a morte dos homens e autoridades do Hamas disseram que o posto de fronteira com Israel também foi destruído por ataques aéreos de Israel.

Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelofensivaGazamilitantesHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.