Israel intensifica segurança em funeral de adolescente

A política israelense intensificou a segurança no interior e nas proximidades de Jerusalém nesta sexta-feira, antes do funeral do adolescente palestino Mohammed Abu Khdeir, de 16 anos, mortos após ter sido sequestrado perto de sua casa. Os palestinos acusam extremistas judeus por sua morte.

Agência Estado

04 de julho de 2014 | 09h01

A polícia tomou precauções adicionais, já que o funeral coincide com a primeira sexta-feira de orações do mês sagrado muçulmano do Ramadã.

O porta-voz policial Micky Rosenfeld disse que a cidade estava calma nesta sexta-feira, após dois dias de protestos em razão da morte do jovem palestino, cujo corpo queimado foi encontrado na quarta-feira numa floresta, horas depois de ele ter sido obrigado a entrar num carro nas proximidade de sua casa, em Jerusalém Oriental. O funeral do adolescente está marcado para a tarde desta sexta-feira.

Informações sobre a morte irritaram os moradores do bairro de Shuafat, que entraram em confronto com a polícia durante dois dias, lançando pedras e bombas incendiárias enquanto as forças de segurança respondiam com gás lacrimogêneo e granadas de efeito moral.

A família de Abu Khdeir instalou uma grande tenda funerária do lado de fora da casa para aqueles que quisessem prestar suas condolências. O pai do jovem, Hussein, disse que os médicos concluíram a autópsia na noite de quinta-feira e que a família aguardava o recebimento do corpo após as orações.

Os palestinos acusam extremistas israelenses pelo assassinato, argumentando que foi uma vingança pela morte de três adolescentes judeus, sequestrados e mortos na Cisjordânia.

A polícia de Israel disse que uma investigação está em curso e que os motivos do assassinato ainda não foram esclarecidos.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu tentou acalmar a situação na quinta-feira, condenando o assassinato de Abu Khdeir e prometeu encontrar os responsáveis. "Ainda não sabemos os motivos ou as identidades dos criminosos, mas faremos isso. Vamos levar à Justiça os criminosos responsáveis por este crime desprezível, sejam eles quem forem", afirmou ele durante um discurso em celebração ao dia da independência dos Estados Unidos. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.