Porta-voz do Exército/divulgação
Porta-voz do Exército/divulgação

Israel intercepta barcos que se dirigiam a Gaza

Intervenção foi pacífica, disseram militares israelenses; embarcações fazem viagem em protesto

Associated Press

04 de novembro de 2011 | 12h39

JERUSALÉM - Israel informou que a Marinha interceptou nesta sexta-feira, 4, dois barcos que se dirigiam para a Faixa de Gaza e tentavam furar o bloqueio marítimo exercido sobre o território palestino.

 

Os militares israelenses afirmaram que os barcos - o canadense "Tahrir" e o irlandês "Saoirse" - seriam levados ao porto de Ashdod. Segundo eles, as embarcações "tentavam furar o bloqueio marítimo de segurança que foi imposto de acordo com a lei internacional". De acordo com as autoridades, a intervenção foi pacífica.

 

"Soldados da Marinha israelense operaram conforme planejado, e tomaram todas as precauções necessárias para garantir a segurança dos ativistas a bordo das embarcações e a própria segurança", disse o comunicado. Uma fonte militar assegurou que ninguém ficou ferido durante a operação.

 

De Gaza, o ativista Amjad Shawwa disse que os barcos estão a 80 quilômetros da costa e que eles foram avisados pelos militares israelenses para mudar a rota, pois estavam entrando em uma zona militar fechada. As embarcações levam 27 ativistas e suprimentos.

 

A Marinha israelense já interceptou protestos similares, levando as embarcações até um porto e detendo os participantes. Israel alega que seu bloqueio naval a Gaza é vital para evitar que o grupo militante palestino Hamas tenha acesso a armas e as use contra seu território. Enquanto ativistas criticam o embargo como forma de punir os habitantes da área, Israel afirma que suprimentos podem ser entregues via terrestre - onde passam por rigoroso controle.

 

Em maio do ano passado, nove ativistas turcos foram mortos durante a interceptação de uma flotilha que levava ajuda humanitária a Gaza. O incidente elevou as tensões na região e as pressões sobre Israel, que foi forçado a relaxar o embargo, vigente desde 2006, quando o Hamas tomou o controle do território palestino. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.