Israel invade Rafah e mata 3 palestinos

Apesar das negociações de uma trégua entre o ministro do Exterior de Israel, Shimon Peres, e o presidente da Autoridade Palestina, Yasser Arafat, tropas israelenses demoliram hoje várias construções no campo de refugiados de Rafah, no começo da madrugada desta quinta-feira, detonando um intenso confronto entre soldados e atiradores palestinos. De acordo com o Exército de Israel, três palestinos morreram e outros 22 ficaram feridos, sendo que quatro deles estão em condições críticas.O exército disse que demoliu várias casas em Rafah em resposta a um atentado realizado ontem contra um posto israelense, próximo da fronteira de Israel com o Egito. Três soldados ficaram feridos pela explosão, que foi conduzida pelo grupo extremista Hamas.Logo depois da zero hora de hoje, quatro tanques e um buldôzer israelenses invadiram Rafah, enquanto soldados davam cobertura ao ataque, funcionários das forças de segurança palestina disseram. Os tanques israelenses também dispararam morteiros. Os palestinos responderam ao ataque e o confronto durou mais de três horas. O governador de Rafah, Majid Agha, disse que 14 casas foram destruídas na ofensiva israelense. Os tanques invadiram cerca de 100 metros de área controlada pelos palestinos.O Exército de Israel negou a acusação de ter entrado em área palestina, e disse que as casas demolidas estavam em uma região que está sob controle de Israel. As casas destruídas, segundo Israel, eram usadas como esconderijo de contrabandistas de armas.TréguaNa quarta-feira, Peres e Arafat se encontraram e concordaram em retomar medidas de cooperação na área de segurança e tomar novas medidas para recuperar a confiança. Israel prometeu aliviar a opressão às comunidades palestinas nos próximos dias. Mas ainda não está claro se os ataques de hoje podem abalar os esforços para uma nova trégua na região.Durante o encontro, os dois líderes concordaram em se encontrara novamente e reafirmaram o compromisso de implementar um plano de paz proposto em maio por uma comissão internacional liderada pelo ex-senador americano George Mitchell.De acordo com essa comissão, os palestinos deve fazer "100% de esforço" para prevenir operações terroristas e punir aqueles que estiverem envolvidos nesses ataques. Israel, por sua vez, deve congelar a construção e a expansão de assentamentos e não usar força letal contra palestinos.A comissão ainda pediu para que os israelenses levante as restrições e permitam que os palestinos possam voltar a seus trabalhos em Israel. O relatório ordena ainda que Israel transfira para a Autoridade Palestina milhões de dólares da receita com impostos que foram confiscados desde o ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.