Israel julgará jornalista por acesso a documento secreto

O jornalista israelense Uri Blau será levado perante a justiça militar de seu país por ter obtido acesso a documentos secretos supostamente entregues a ele por um ex-soldado que hoje está preso sob a acusação de espionagem, decidiu o procurador-geral de Israel.

AE, Agência Estado

30 Maio 2012 | 16h41

"No futuro próximo, acusações contra Blau serão apresentadas pelo crime de porte de informação secreta por pessoa não autorizada", informou o Ministério da Justiça do Estado judeu. Blau, no entanto, não será acusado de ter a intenção de prejudicar o Estado.

Blau usou informações contidas nos documentos secretos em um artigo publicado em 2008 pelo jornal Haaretz. Os documentos sustentavam sua afirmação de que os soldados de Israel receberam ordens de promover execuções extrajudiciais de supostos militantes palestinos apesar da vigência de uma proibição imposta pela Suprema Corte do país.

Posteriormente, o jornalista israelense devolveu a agentes israelenses os documentos secretos a que teve acesso. Se for considerado culpado, Blau pode ser condenado a até sete anos de prisão, segundo o grupo Repórteres Sem Fronteiras.

Dalia Dorner, presidente do Conselho de Imprensa de Israel, denunciou que o indiciamento "fere a liberdade de imprensa". As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Israel jornalista indiciado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.