Israel lança mais de 500 mísseis contra Gaza em 24 horas

O exército israelense disparou nas últimas 24 horas 500 mísseis contra a Faixa de Gaza, enquanto prosseguem os ataques aéreos contra alvos móveis e infra-estruturasno território."Nas últimas 24 horas disparamos cerca de 500 projéteis de artilharia, tanto de terra como de mar, sempre contra áreas desabitadas e nas quais confirmamos anteriormente que não havia população", disse o porta-voz.Perguntado sobre a lógica militar de disparar contra descampados, o porta-voz explicou: "As estatísticas indicam que, quando disparamos contra áreas abertas, cai o número de foguetes que disparam contra o nosso território".Três militantes mortosNa Cisjordânia, efetivos do exército israelense mataram nesta sexta-feira dois milicianos palestinos na cidade cisjordaniana de Nablus, os dois das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, filiadas ao movimento Fatah.Os militantes estavam em um edifício cercado pelos soldados, segundo as fontes. Outros dois milicianos procurados foram detidos pelos efetivos.Um terceiro palestino, do braço armado da Jihad Islâmica, morreu hoje em um hospital de Gaza como conseqüência dos ferimentos que sofreu há dois dias, no início da operação "Chuvas de Verão".AtaquesNesta sexta-feira, apesar da chuva de mísseis israelenses, as milícias palestinas conseguiram disparar três foguetes Qassam contra o território de Israel, que não causaram danos materiais nem vítimas.O porta-voz informou que uma parte dos mísseis foi disparada no norte e outra parte no sul da faixa, que o exército israelense ocupa desde a madrugada de quarta-feira, quando lançou a operação "Chuvas de Verão", após o seqüestro de um soldado dois dias antes.Também no sul de Gaza, milicianos palestinos dispararam uma granada antitanque contra um veículo blindado israelense, que não foi danificado. Os rebeldes também dispararam contra os soldados com armas automáticas.No norte, o exército manteve os ataques aéreos contra comandos palestinos, como o que sacudiu o bairro de Shejaeya, na Cidade de Gaza. A Força Aérea disparou um míssil contra um veículo no qual estavam militantes da Jihad Islâmica, ferindo três deles, que conseguiram sair do carro e escapar.Israel também bombardeou os escritórios do dirigente do Hamas Zayad Zyam.Segundo uma fonte do Exército israelense, a Força Aérea atacou de madrugada dois campos de treinamento da milícia do Hamas e outro das Brigadas de Al-Aqsa nos arredores de Gaza. Israel também lançou um míssil contra o escritório do ministro do Interior e um escritóriodo Hamas no campo de refugiados de Jabalya.O exército negou categoricamente que a explosão que ocorreu de madrugada em uma central elétrica no norte de Gaza tenha sido causada por um míssil seu. "O exército nega taxativamente as acusações palestinas que atacamos um transformador em Gaza durante a noite".O comunicado acrescenta que "a Força Aérea identificou cada alvo atacado no centro da Faixa de Gaza e confirmou que não destruiu nenhuma central elétrica".A nota diz que a explosão e o blecaute ocorreram devido a um possível foguete Qassam que desviou sua trajetória e caiu na usina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.