Israel lança novo escudo antimísseis no sul do país

Sistema protegerá civis dos foguetes disparados a partir da Faixa de Gaza, dizem militares

estadão.com.br

25 de março de 2011 | 16h47

JERUSALÉM - Israel lançou nesta sexta-feira, 25, seu novo sistema de defesa antimísseis, conhecido como Cúpula de Ferro, desenvolvido para proteger a parte sul do país dos foguetes disparados a partir da Faixa de Gaza. O escudo entra em operação dias depois de as tensões na região aumentarem com a troca de disparos entre militantes palestinos e o governo do Estado judeu.

 

Veja também:

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especialLinha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

 

O novo sistema foi anunciado pelo ministro da Defesa israelense, Ehud Barak. "Não permitiremos que o terror chegue às nossas cidades. Se os disparos continuarem, vamos responder devidamente", disse. Ele disse ter aprovado o início das atividades do Cúpula de Ferro como "um experimento operacional" e afirmou que ainda levará anos para que Israel tenha todo o seu território protegido.

 

Os escudos antimísseis de Israel protegem os cidadãos dos Estado judeu dos mísseis disparados a partir da Faixa de Gaza, no sul, e do grupo radical libanês Hezbollah, no norte. Milhões de civis israelenses estão no alcance dos foguetes dos palestinos, que também sofrem com os disparos de Israel.

 

O Cúpula de Ferro é um sistema composto de câmeras e radares que encontram mísseis próximos de seu território e os abatem em poucos segundos após seu lançamento. Seu custo total é estimado em mais de US$ 200 milhões.

 

Os militares israelenses afirmaram que o sistema entrará em operação em poucos dias, mas não deram detalhes. Segundo eles, o escudo será responsável por "fornecer parte da resposta à ameaça dos mísseis às comunidades do sul de Israel". O Estado judeu afirmou que não quer ver uma escalada da violência das últimas semanas, quando houve novas trocas de disparos entre as partes.

 

Com Associated Press

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.