Israel libera mais assentamentos na Cisjordânia

O ministro de Defesa de Israel, Ehud Barak, autorizou a construção de 450 novos apartamentos em assentamentos israelenses no território palestino ocupado da Cisjordânia, informou um comunicado emitido hoje pelo respectivo ministério. O movimento ocorre a poucos dias de uma visita à região pelo enviado especial dos EUA para o Oriente Médio, George Mitchell, o que deve despertar críticas de Palestina, EUA e Europa - todos já alertaram que os assentamentos de Israel em território ocupado pela Palestina poderia colocar em risco a retomada das negociações de paz entre os dois lados.

AE-AP, Agencia Estado

07 de setembro de 2009 | 10h44

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, já criticou os planos como inaceitáveis e alertou que, se Israel seguir adiante, não haverá motivo para um encontro entre ele, Netanyahu e o presidente dos EUA, Barack Obama, à margem da Assembleia Geral da ONU no final deste mês. "Não haverá retorno à mesa de negociações antes da suspensão das construções nos assentamentos", disse o porta-voz de Abbas, Nabil Abu Rudeina, hoje na Arábia Saudita.

A ordem do ministro de Defesa permite o andamento da construção de um novo assentamento no enclave do Vale Jordão, uma área que é considerada vital para um futuro estado palestino por causa de suas ricas áreas cultiváveis. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, havia dito que iria aprovar um aumento na construção dos assentos antes de considerar uma possível suspensão. Segundo analistas, o objetivo de Netanyahu é apaziguar a pressão da ala de direita de seu partido conservador, o Likud, favorável à expansão. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelPalestinaassentamentosamplia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.