Israel liberta 159 prisioneiros palestinos

O governo de Israel libertou 159 prisioneiros palestinos, como gesto de boa vontade dirigido à nova liderança palestina e ao governo egípcio. O favorito para vencer a eleição presidencial dos palestinos, Mahmoud Abbas, elogiou o movimento, mas cobrou a libertação dos presos condenados a sentenças maiores. Cerca de 7.000 palestinos são mantidos em prisões israelenses por questões de segurança, e Abbas está sob intensa pressão popular para exigir a soltura deles.Os detentos soltos nesta segunda-feira não teriam mais de dois anos de sentença ainda por cumprir, e nenhum havia sido acusado de ataques contra israelenses. Dezenas haviam sido presos por estar em Israel sem permissão. Dezenas de presos chegaram a pontos de desembarque na Cisjordânia e Gaza, alguns agitando bandeiras palestinas e fazendo o sinal da vitória. A libertação é parte de uma troca de detentos com o Egito. Em 5 de dezembro, o Egito soltou Azzam Azzam, um israelense que cumpriu oito anos numa cadeia egípcia, acusado de espionagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.